Páginas

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Como remover tinta vermelha do cabelo.

Olá de novo amados do meu coração!
Estava olhando as estatísticas do blog, e percebi que um dos posts mais acessados é oque “ensina” a remover a tinta vermelha do cabelo. Pensando nisso, resolvi voltar a tocar no assunto de forma mais detalhada.
Pra começo de conversa, preciso explicar que não sou uma profissional no que se relaciona com cabelos, e a forma que costumo “sair do ruivo” foi algo que deu certo pra mim. Eu nem sei se eu sigo regras específicas que os coloristas recomendam, apenas, com base no meu tipo de cabelo, acabei descobrindo uns truques eficazes pra mim.
Já me perguntaram também porque eu simplesmente não uso Dekap Color. Não uso porque não consigo comprar, simples. Moro numa cidade pequena, e não se trata de um produto fácil de encontrar. Logo, acho que não preciso de mais explicações.
Por fim, preciso esclarecer que há dois tipos de tintas ruivas: as com nuance acaju (vai ter o número 6 depois do ponto na numeração da tinta) e a cobre (vai ter o número 4 depois do ponto). A nuance acaju é a mais comum de achar em tintas de farmácia, é aquele vermelho mais fechado, puxando pro vinho. Já a cobre é bem difícil de achar, e existe mais em tintas profissionais, sendo conhecida como “ruivo natural”, alaranjado (tipo da Marina Ruy Barbosa).
Porque é importante saber isso? Porque enquanto o pigmento cobre no cabelo se aproxima do laranja, o pigmento acaju contém uma parcela de pigmento azul. Isso mesmo, azul. Isso faz o vermelho ficar naquele tom vivo de vinho característico. Sabendo disso, eu preciso corrigir uma omissão minha do outro post, mas já chego lá.
Então, como faço pra sair do cabelo vermelho?
Três opções. A primeira, como já dito, é o Dekap Color, que vai desbotar muito seu cabelo, deixando-o apto pra ser tingido.
A segunda, é pintar de preto, que vai cobrir a tinta toda.
A terceira, é a que vai dar trabalho. Primeiro, é necessário lavar bem o cabelo com um shampoo anti-resíduos. Assim, ele vai abrir bem as escamas do seu cabelo, e desbotar bem a tinta. Eu gosto de lavar com anti-resíduos uma vez por semana, por mais ou menos um mês antes de resolver pintar. Assim, meu cabelo fica bem desbotado.
Depois de lavar com o anti-resíduos, eu uso um shampoo desamarelador CINZA, aquele que se usa pra matizar cabelo branco/grisalho. Se você pintou o seu cabelo de acaju, e usar um shampoo desamarelador roxo, ou azul, você não vai desbotar o pigmento, e ainda corre o risco de intensifica-lo. O cinza vai “quebrar” um eventual amarelado que pode ficar no seu cabelo por causa do desbotamento.
Recapitulando, é necessário lavar o cabelo com o combo anti-resíduos e shampoo cinza uma vez por semana, por quatro semanas consecutivas, lembrando de hidratar muito o cabelo depois.
Por fim, na quarta semana, seu cabelo vai estar bem desbotado, e preparado pra receber uma tinta que possa cobrir o vermelho. Essa tinta deve conter a nuance cinza, que vai dar uma “esfriada” no tom do cabelo, anulando o pigmento vermelho/cobre, ou pelo menos boa parte. No meu cabelo, eu costumo usar o castanho cinza claro, da color touch, que fica bem próximo do meu tom original, e eu consigo ficar tranquilamente uns dois meses sem pintar o cabelo (e assim dou um descanso pro pobrezinho).
Lembrando que é muito difícil conseguir um tom de loiro por cima do vermelho, mesmo no salão. Então, pra quem quer remover a tinta vermelha e ficar loira eu sugiro muito tratamento e um bom profissional.
Pra facilitar, é só lembrar de seguir o esquema:
Semana 1: Shampoo anti-resíduos + shampoo cinza + hidratação;
Semana 2: Shampoo anti-resíduos + shampoo cinza + hidratação;
Semana 3: Shampoo anti-resíduos + shampoo cinza + hidratação;
Semana 4: Shampoo anti-resíduos + shampoo cinza + tintura + hidratação.

Beijo grande, e espero ter ajudado!


quarta-feira, 26 de junho de 2013

DUELO DE BB CREAMS: L'OREAL X SKIN FOOD









Eu tô sumida? Ô, gente, me perdoa!!!
Mas ó, eu juro, vou me redimir!!!
Seguinte, vou fazer um comparativo entre dois BB Creams famosos. O primeiro é da linha Good Afternoon, da Skin Food. O bom e velho coreano. E o segundo é o da L’oreal, que foi lançado há pouco tempo no Brasil e está fazendo um super sucesso nos blogs e fora deles. Eu comprei dois da Skin Food, o Berry Berry Tea e o Apple Cinnamon Tea. O segundo eu usei até o fim, e o primeiro, usei poucas vezes. Mas, vamos ao que interessa!
Textura:
Skin Food: é bem grosso. Às vezes, acaba sendo bem difícil de espalhar, especialmente com pincel. Já com as mãos é bem mais tranquilo de espalhar, mas tem que ter paciência. O lado bom é que, por ter que apertar a embalagem pra que ele saia, é mais fácil dosar a quantidade e evitar desperdício.
Lóreal: é bem mais líquido e fluido. Espalha bem no rosto tanto com as mãos, quanto com pincel. No entanto, só de virar o bico dosador pra baixo ele já começa a sair descontroladamente. Tem que tomar cuidado na hora de abrir para não haver desperdício.
Cobertura:
Skin Food: cobertura média. Ameniza bem algumas manchas menos pigmentadas do meu rosto. No entanto, a cobertura não condiz com a textura, pois, por ser bem grosso, eu esperava que cobrisse melhor. Espalhando com pincel eu consigo, apesar de ter um pouco de trabalho, chegar à uma cobertura digna de base. A vantagem é que não deixa o rosto com cara de reboco.
L’oreal: cobertura média. Embora seja mais fluido, não notei diferença nenhuma de cobertura para o da Skin aplicando com o pincel. Já com as mãos, eu precisei de duas camadas pra ficar do jeito que eu gosto.
FPS:
Skin Food: 36 PA++. É bem alta, utilizando ele eu dispenso meu filtro. Mas é importante ressaltar que, na praia, eu uso filtro específico pra esse fim, e na cidade, eu não tomo sol. Então, eu acredito na embalagem, mas não tenho como atestar a eficácia do filtro.
L’oreal: fator 20. Pra mim, esse fator é baixo. Por isso, uso um filtro por baixo sempre.
Cheiro:
Skin Food: os dois que eu comprei, embora da mesma linha, tem uma diferença muito sutil no cheiro. Mas só senti porque estava com os dois na mão, acredito que quem comprar um por vez nem perceba. É um cheiro meio cítrico, perfumadinho delícia, que some depois.
L’oreal: Tem cheiro de... cola branca!!! Lembrei dos meus tempos de escola, sério! Não fica na pele, mas pra quem é enjoada com cheiros, esse tem cheiro de cola escolar.
Cores:
Skin Food: Tem nas cores claro, médio e escuro. Mas, não é pros nossos padrões. Eu uso o médio, e fica ligeiramente mais claro que a minha cor. Depois que assenta e que eu uso blush, ele iguala, mas é um pouco mais claro sim. Ele fica perfeito na minha sogra, que tem a pele bem clara e rosada, então, acredito que o “escuro” deles seja a cor de uma morena clara aqui no Brasil. Lembrando que é um produto coreano, que não é distribuído aqui, e por isso, não tem obrigação de atender aos nossos padrões.
L’oreal: minha indignação máster aqui. Só tem em duas cores, claro e médio. O claro é a minha cor exata, mas na minha sogra fica ligeiramente mais escuro. O médio eu não conheço, mas acho que dificilmente ficaria bom numa negra. Acho um absurdo uma marca trazer um produto pro Brasil e não atender a todas as consumidoras daqui. Um produto coreano não ter cor pra pele negra é admissível, porque normalmente esse não é o biótipo de lá. Mas se é revendido no Brasil como produto nacional, tem obrigação de atender (ou tentar) a toda a gama de consumidoras aqui. E nem cito as harmonias de pele (rosada, amarelada), mas só os tons mesmo. Falta de respeito.
Acabamento:
Skin Food: normal. Não reduz nem aumenta minha oleosidade, lembrando que tenho pele normal. O acabamento dele, aplicado com os dedos fica sem brilho, e até consigo dispensar o pó. Já com pincel, a pele brilha um pouquinho, mas nada que uma camada fina de pó não resolva. Aplicado com pincel, ele transfere um pouco, mas nada alarmante. Não me deu cravos.
L’oreal: diz que é matte, mas aplicado com os dedos tem o mesmo acabamento da Skin. Com o pincel ele continua ficando seco, mas me sinto mais segura usando uma camada fina de pó. Também transfere um pouco e não me deu cravos.
Benefícios adicionais:
Skin Food: promete hidratação, o que eu não consigo ver diferença porque nunca deixo de usar meu hidratante diário. O Apple Cinnamon Tea, que eu usei até o final, prometia clarear manchas, mas digo com segurança que nas minhas não fez diferença nenhuma. Já o Berry Berry Tea promete ser antissinais, o que eu não tenho condições de avaliar.
L’oreal: Não promete nenhum benefício adicional, além dos que já são naturais dos BB Creams.
Preço:
Skin Food: Eu paguei R$56,00 reais em cada um pelo site Pink Gloss, e demorou 40 dias pra chegar.
L’oreal: Paguei R$24,50 numa farmácia da minha cidade.
Resultado: pelo preço e facilidade pra comprar, indico o da L’oreal, afinal, a cobertura dos dois e o aspecto na pele é quase idêntico. Embora o da Skin prometa mais benefícios e tenha um cheiro melhor, é chato pra comprar, não dá pra testar a cor antes (comprei na sorte) e, honestamente, não senti nenhum desses benefícios de forma direta a ponto de compensar a compra. A única coisa em que ele supera sem sombra de dúvidas o da L’oreal é no FPS, o que me poupa um trabalhão na hora de me arrumar. Mas pra quem não liga pra isso, a melhor indicação ainda é o da L’oreal.
Beijos grandes!!!