Páginas

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Beleza pra Gente Grande

            Olá, moças!

            Primeiramente, peço 200 milhões de desculpas pelo sumiço. As razões disso eu vou explicar neste post, e peço a paciência e o carinho de vocês para lerem até o final. Vai ser metade um post sobre beleza, metade, sobre a minha vida nova.
            Como vocês sabem, eu me formei em Direito, e comecei um emprego novo num escritório de advocacia. E isso influenciou muito, tanto no meu comportamento, quanto nos meus conceitos de beleza. O fato é que eu não tenho mais tempo. Trabalho numa rotina não muito flexível, e ainda tenho que dar atenção ao homem da minha vida. Isso quer dizer que não acesso mais blogs com frequência, não acompanho mais as novidades do mundo beauté. O reflexo disso se deu na forma como me visto, me comporto, me maquio. E também no meu bolso. É incrível como a gente gasta com coisas que não precisa.
            A ausência de tempo, também, se refletiu no meu estilo. Pra vocês terem uma ideia, eu fui a única da minha turma que usei cabelo solto nos eventos da formatura. Em um deles, não fosse o batom vermelho, eu estaria de cara lavada. E me senti maravilhosamente bem com isso. Me diziam que com a idade eu ia parar de ter a necessidade de me mascarar, de mudar o cabelo e usar maquiagem/unha berrantes pra me sentir bem. A boa e velha sabedoria popular. Mas é verdade. Antes eu não deixava nem o padeiro me ver sem maquiagem. Hoje, sou plenamente capaz de ir pra uma balada louca usando só blush e rímel. Eu abri mão da minha vaidade? NUNCA! Mas estou olhando as coisas por um outro prisma. E hoje agradeço à minha falta de tempo. Vou parar de divagar e dar exemplos práticos que vocês vão entender.
            UNHAS – Gente, eu era a louca das unhas. Tenho mais de 300 esmaltes, sempre comprava mais, tenho coisa que nem usei. E sempre estava com unhas pintadas. Todo mundo achava lindo, mas minhas unhas eram um horror. Apesar de não tirar cutículas, minhas unhas descascavam, quebravam, não “seguravam” o esmalte. A consequência era que, pra que elas não ficassem lascadas, eu trocava de esmalte 3 vezes por semana. E quanto mais eu trocava, mais acetona e esmalte nelas, mais frágeis ficavam.
            Até que li uma entrevista da Lília Cabral, dizendo que teve que parar de pintar as unhas pra interpretar a Griselda. E que a consequência disso foi que as unhas dela ficaram mais bonitas e saudáveis. Outra coisa era que, se minha unha lascasse, ela ficava assim até a sexta-feira, porque eu não tinha tempo nem de tirar o esmalte. Por isso resolvi mudar meus hábitos: passei a pintar as unhas na sexta e remover o esmalte no domingo. Passei a ficar os dias de semana sem esmalte, afinal, é melhor uma unha sem esmalte e limpinha, do que com o esmalte detonado. Resultado? Minha unha não quebra, não descasca, cresce mais rápido, uma loucura. As primeiras semanas foram estranhas? Foram. Eu fiquei com vergonha daquelas unhas descascadas e quebradas? Fiquei. Mas agora, com esmalte ou sem esmalte, minhas unhas estão mais bonitas.

CABELOS – Gente, vocês lembram que eu disse que era a doida da tintura, e do secador? Eu tinha um fogo por mudar o cabelo que não tem como explicar. E usava secador TODO DIA. Meu cabelo era, mesmo assim, muito saudável porque eu cuidava bem. Mas... e se você perde o tempo pra cuidar? Há alguns meses eu disse aqui no blog que ia manter meu cabelo próximo à cor natural até a formatura, lembram? Com meu emprego novo eu também parei de usar secador em dias de semana, mas mantive as hidratações semanais. Resultado? Cadê o frizz que estava aqui? Cadê as pontas duplas? Depois que me livrei do secador e da tintura a necessidade de hidratações reduziu drasticamente, ele fica bonito, com brilho, com movimento.
Parei de cuidar? Não. Uso secador e chapinha no fim de semana? Lógico que sim! Mas, num geral, eu tenho gostado mais do meu cabelo agora. To até pensando em aderir ao cabelão.
PELE – E a pele? Como vocês devem se lembrar, eu usava maquiagem até pra ir na padaria. E a base, principalmente, entope os poros. Pode ser Dior, Mac, Vult, Avon, de farmácia ou de grife, não tem pra onde correr. E eu tive que parar de usar. Entro muito cedo no escritório, e pra usar uma maquiagem bem feita, corrigida e sem manchas, tinha que acordar meia hora mais cedo.
E gente... não tem base nesse mundo que supere os efeitos de meia hora a mais de sono. Passei a usar um hidratante, filtro, pó, rímel e blush. Só. Tem dia que até levanto inspiradinha pra uma sombra bonitona, mas no geral são só os itens acima. E sabem o resultado? Pele sem: cravos, espinhas, oleosidade, com machas menos sensíveis.
E eu encerro esse post com uma reflexão: quanto produto químico a gente usa, achando que vai deixar a gente mais bonita, quando na verdade acaba fazendo mais mal do que bem?