Páginas

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Óleo de Argan pro meu bolso!

Hey, ladies!
Quem de vocês aí já se rendeu ao óleo de Argan? Bom, eu me rendi através da Novex, como já falei aqui, e tive ótimos resultados. Essa febre de Óleo de Argan começou por causa do Morrocan Oil, e depois um monte de marcas começaram a usar o mesmo princípio ativo nos produtos (pra alegria do nosso bolso).
Além das máscaras, shampoo e outros produtos, a linha pioneira também tem um óleo que, segundo dizem, faz milagre. Tem blog por aí indicando duzentas milhões de utilidades pro bichinho, tá quase um Bepantol da vida. O problema? É caro de com força, colega!
Aí que uma marca nacional, a Vita Seiva, lançou uma linha completa à base do tal “ouro marroquino”. Se eu experimentei a linha toda? Não. Mas experimentei o óleo pra ver se era bom. Ele vem numa ampola, tipo as de vitaminas mesmo, de 10 ml e custou R$ 1,95, então comprei várias pra testar e contar aqui pra vocês. A primeira vez que usei, passei diretamente no cabelo, besuntei bem, e fui dormir, pra lavar no outro dia. Melhorou razoavelmente minhas pontinhas espetadas por causa das tinturas, isso tenho que admitir. Mas não dá pra dormir com a cabeça besuntada toda noite, né?
Também misturei no creme de hidratação, e o resultado foi bom. Não foi assim, uma maravilha, mas foi bom. A glicerina me rendeu um resultado visível melhor, mas depois de misturar essa ampolinha e usar em todas as hidratações, senti que a longo prazo deu uma melhora decente no meu cabelo. O jeito que mais gostei de usá-la foi misturando uma gotinha mixuruca no leave-in. Gente, incrível! Nem precisei de reparador de pontas, fantástico. Misturei no meu protetor térmico também e fiz escova: brilho dos brilhos, uma loucura. Investimento validíssimo, super amei!

É a do cantinho. Não achei foto dela sozinha na net e minha câmera tá ruim :(

Ah! Um ponto positivo dessa ampola é que ela e de plástico e a tampa dela não é de quebrar, é de enroscar. Então, se você quiser ir misturando no leave-in igual a mim, é super tranqüilo de fechar ela depois. E dura bem também.
Se é igual ao Morrocan Oil? Não faço idéia. Mas me deu mais um forte motivo pra não comprar o primo famoso nunca (por amor à minha carteira!).

domingo, 24 de julho de 2011

R.I.P Amy.

Não adianta dizerem pra mim que já era esperado, que ela procurou o próprio fim, nem nada disso. Eu vou sentir falta da Amy.
Também não adianta ninguem me dizer que todos os gênios são incompreendidos, que o caminho autodestrutivo que ela escolheu era pra suportar a genialidade, nem nada disso. Eu ainda vou sentir falta da Amy. Porque poxa, num mundo atual em que a gente é obrigado a conviver com tanto lixo musical, ela foi um sopro de ar fresco nos meus ouvidos. Ela trouxe música boa, cheia de balanço pros meus dias. Voz única, estilo idem, uma grande artista, certamente.
E uma jovem linda. Sim, tão jovem e já se foi. E agora não tem mais música nova, não tem mais show no Brasil, só tem lembrança. Poxa, Amy, porque você fez isso com a gente?
Eu me lembro de que quando outro gênio, o Michael Jackson, morreu eu não acreditei. Depois chorei loucamente na frente do computador e fiquei esperando algo que poderia ser típico dele - uma jogada de marketing. Eu ainda estou esperando alguem aparecer na TV e dizer que o Michael não morreu, que foi pegadinha do malandro. Acabo de acrescentar a Amy a essa lista de esperas. Me chamem de estúpida, mas não dizem que a esperança é última que morre?
Eu sou jovem. Não vi grandes mitos como Fredie Mercury, nem Elvis, nem John Lenon. Embora goste muito deles, não vivi toda a euforia, todo o frisson que eles causaram. Mas a Amy vai me marcar pra sempre, porque foi um mito que eu pude viver: do surgimento, do comecinho da carreira, ao sucesso absurdo, ao final. A Amy marcou um período único na minha vida, que foi minha faculdade. Ela "viveu" momentos únicos comigo.
A música dela estava comigo nos longos trajetos de ônibus, na hora de estudar pras provas de Direito Penal, na hora de me arrumar pros churrascos. Por isso, ontem, eu tive a sensação de ter perdido uma amiga.
Eu tinha feito o delineado igual ao dela pra postar aqui. Mas não saiu foto boa, então, amanhã, ou depois, quando esse estado de "eu não acredito" passar, eu posto outra foto. Hoje eu deixo vocês com o clipe da minha música favorita.

R.I.P. Amy.


sábado, 23 de julho de 2011

Marca boa: Payot

Eu conheci a Payot numa situação emergencial: fui dormir na casa de uma tia minha e esqueci a nécessaire em casa (pausa dramática onde #todaschora). Tive que correr pra nécessaire dela então, e estava repleta de makes da marca. Preciso adiantar que: o blush deles é muito bom (dura horrores), o pó tem uma embalagem chatinha, mas é maior bom também. E o demaquilante, o Purê Rays é o melhor que já usei na vida.
Mas falemos dos itens que eu de fato comprei, uso frequentemente e super gosto: o lápis de olho preto e a base.
Primeiramente, o lápis. A maioria dos blogs que eu leio fala do raio do Zero, da Urban Decay, ou do lápis preto da Natura Una. Mas eu fico pensando, qual a finalidade de gastar um horror do meu rico dinheirinho num lápis preto, se posso achar alguns bem decentes e a preço mais baixo? Aí entra a Payot. O lápis preto da marca é PRETO. Tipo, PRETO MESMO!!! E super macio. Eu inclusive uso ele em vez de usar delineador quando vou pra uma festa mais punk que vai exigir demais da minha maquiagem. Tem diferença pro Zero? Tem. Mas tão mínima que, honestamente, não compensa a diferença de preço, pelo menos não pra mim. Meu lápis da Payot custou seis reais há um ano e meio atrás, não está nem na metade ainda, e não preciso de outro, obrigada.


Depois vem a Base Acetinada Luminat. Gente, é boa! Mas... nada é perfeito. Primeiro, ela não é oil free. Isso quer dizer que não dá pra você usar ela sem pó por cima como a da Vult. Por outro lado, tem uma cobertura porreta sem te deixar com cara de reboco. E deixa a pele com uma luminosidade linda, coisa que a base da Vult não faz. Eu, honestamente, não tive problemas de oleosidade na pele com ela mais do que tive com as outras bases que usei (isso inclui a da MAC). E como uma base dessas dificilmente é uma base pra todo dia, pra mim ta ok. Com os cuidados normais de limpeza diária e tirando a maquiagem antes de dormir, nunca tive problemas. O preço dela é em torno de 30 reais.

Com resto de rímel no olho, sem base e sem dignidade.
Com a base (e um pouco mais digna)

A marca tem uma loja virtual nesse endereço. Eu nunca comprei nada por lá, não sei como funciona o esquema de tempo pra entrega, frete, essas coisas, mas pra quem se interessar, é uma opção bacana. Tem muita coisa linda por lá que me encheu de vontade de testar.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

Elas estão de volta!

Então, né, amadas?

Um monte de gente tava reclamando que não conseguia mais postar no blog (nem eu estava, na verdade), que tava dando uma zica estranha, bla bla bla. Aí eu entrei em contato com o suporte do Google, mexi aqui, mexi ali... Dizem que o problema foi solucionado.
Tenso é que algumas pessoas me mandaram e-mail achando que eu sou metida e que não respondia os comentários. Mas eu juro que tentei responder vários, foi problema de suporte mesmo, eu cheguei até a postar aqui. Me perdoem?
Bom, de resto, se puderem, agradeço se puderem me informar se o problema foi solucionado.
Beijos, minhas amadas!

Barbara

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Amizade

As diferenças entre "Amigo Simples, Amigo Verdadeiro e Amigo Pá-Caralho"

Um simples amigo traz uma garrafa de vinho para sua festa.

Um amigo de verdade chega cedo, ajuda a cozinhar e fica até mais tarde para te ajudar a limpar.

Um amigo pá-caralho faz tudo isso, e ainda bebe todas na sua festa, vomita no tapete da sua mãe e dorme atrás do sofá até segunda-feira pela manhã, quando a empregada o encontra.


Um simples amigo odeia quando você liga depois que ele já se deitou.

Um amigo de verdade pergunta por que você demorou tanto para ligar.

Um amigo pá-caralho pergunta se você tá virando viado prá ligar aquela hora, te manda dormir e tomar no
c... e fala para você ir curar tuas mágoas com cachaça.


Um simples amigo procura você para conversar sobre seus próprios problemas.

Um amigo de verdade procura você para te ajudar com os teus problemas.

Um amigo pá-caralho procura você, te ajuda com os teus problemas e ainda te leva pra gandaia e paga todas.


Um simples amigo, ao visitá-lo, age como uma visita.

Um amigo de verdade abre a geladeira e serve-se sozinho.

Um amigo pá caralho abre a geladeira, serve-se sozinho e ainda reclama que

só tem Kaiser.


Um simples amigo pensa que a amizade acabou depois de uma discussão.

Um amigo de verdade sabe que não é amizade enquanto não teve a primeira briga.

Um amigo pá caralho xinga você, chuta o seu cachorro e risca teu carro, mas tá tudo bem.


Um simples amigo espera que você esteja sempre lá para ele.

Um amigo de verdade espera sempre estar lá, PRA VOCÊ !!!

Um amigo pá-caralho te espera duas horas no bar até ficar revoltado. Vai até a sua casa, xinga você, chuta o teu cachorro e risca seu carro, tudo de novo.
(Autor desconhecido)

Sendo assim um Vivaaaaaa as minhas amigas Pá-caralho
eu amo vc



Milk Shake Hidratante

Hello, minhas divas!
Post rapidinho pra falar de um novo queridinho meu: Milk Shake Hidratante de Baunilha e Leite, da Avon Naturals.


Amadas, nos ultimos meses eu não tinha feito um investimento de beauté tão bom: o hidratante é hiper cheiroso, absorve bem e até hidrata direitim - eu nunca espero muita hidratação de nada que é cheiroso. Hahahaha!!!
O único "problema" é que, por ter um cheiro forte, tem que tomar cuidado com perfume, tem que usar algo que "combina". Eu uso com o body splash da Victoria's Secrets, o Vanilla Lace, e saio de casa parecendo uma bala ambulante.
Ah! E também eu achei o vido bem pequenininho. Uma coisa cheirosa dessas tinha que vir em galão de 5l!
Bj!!!

domingo, 17 de julho de 2011

Do vermelho ao castanho: Como deixar de ser ruiva.

Amadas, retorno eu de um pós OAB traumático. Provinha bem enjoadinha de fazer, to aguardando o resultado cheia de medinho no coração.
Mas, enfim, depois do post da Yasmin falando sobre como se livrar do pretão dos cabelos, eu parei pra pensar sobre isso. Deixar de ter cabelo castanho ou loiro é relativamente fácil. Agora, o raio da tinta preta e da vermelha... E como já fui ruiva três vezes, acabei desenvolvendo uma tática ninja pra deixar de ser (e sem Dekap Color), e voltar ao castanho. Já adianto aqui que nunca tentei sair do vermelho pro loiro, porque a tinta vermelha tem muuuuuuuuuito pigmento, acho q submeter o cabelo a uma descoloração depois de usar tinta vermelha é pedir pra obter um cabelo “palhoso” e laranja. Mas sair do vermelho pro castanho dá, é só seguir meu programa intensivo de “desavermelhamento”, e de um sábado a outro... voilá! Cabelo castanho e sem perder a saúde, o que é muito importante.
A primeira coisa é se livrar do excesso de tinta. Como? Amada, escolha um sábado em que você tenha tempo disponível. Aí você vai lavar seu cabelinho, com muito carinho, com um shampoo antirresíduos (nesse momento o corretor de texto do Word protesta contra a reforma ortográfica, colocando aquele negocio vermelho em baixo da palavra). Depois, você vai lavar o seu cabelo com um shampoo roxo/cinza. Isso, aquele shampoo recomendado pra cabelo grisalho/com luzes, pra tirar o amarelado do cabelo. Vai deixar o shampoo agir por 5/10 minutos (dependendo do estado do seu cabelo). Por último, vai hidratar lindamente essa juba, ou fazer AQUELA cauterização potente.
No decorrer da sua semana, tenta dar mais uma hidratada com um creme de ação rápida (se tiver tempo de usar todo dia, melhor). No próximo sábado, seu cabelo já vai estar desbotadão (mas muito hidratado), e você vai repetir o processo acima (shampoo antirresíduos + shampoo desamarelador) e aí, vai usar um tonalizante que tenha cinza na composição. Eu uso o castanho cinza claro ou loiro cinza escuro. Mas dependendo da cor natural do seu cabelo, de quantas vezes você tingiu de vermelho, e da tonalidade de vermelho, dá pra usar um loiro cinza médio ou um castanho cinza médio (castanho cinza escuro não, porque fica preto). Também não dá pra usar castanhos ou loiros sem a nuance cinza, porque é o cinza que vai “quebrar” o vermelho que você já desbotou bem com o processo dos shampoos. Depois do tempo de ação do tonalizante (tenta não usar tinta, pelamor), dá mais uma hidratada, e siga hidratando bem o cabelo durante a semana. Se você sentir que o vermelho não saiu de tudo, pode tonalizar ele com o loiro/castanho cinza de novo depois de uns 15 dias.
Ah! E os tonalizantes que eu usei e gostei (e que tem essas nuances de cinza) foram o Welaton e o Color Touch.
Eu admito que é um processo meio trabalhosinho, mas pelo menos não vai detonar o cabelo de ninguém. E aí? Quem quer deixar de ser ruiva? (Eu não!!!)

sábado, 16 de julho de 2011

Com Raiva da Minha Cidade

               Eu sei, eu sei que disse que só voltaria dia 18, mas... Gente, isso eu precisava dividir com vocês.
              Gente, eu moro em cidade pequena. Eu e a maioria da população do país, afinal, a maioria das cidades do Brasil são como a minha: pequenininhas.
            Isso definitivamente não representa um problema na sua infância, porque convenhamos, quem já brincou de pique pega na rua sabe como é bom esse tipo de liberdade. Mas... quando o quesito é beleza/moda, isso é um problema.
            Vamos às divagações. O Brasil já é, naturalmente, um país que traz as “tendença” um pouco atrasadinho. Tudo o que lá fora já está quase se aposentando, chega aqui bem depois (pelo menos as marcas que fabricam em série só trazem depois). Lembram do esmalte fosco? Chegou aqui quase um ano depois que já nem era mais moda no exterior. Entre outras coisas. Bom, mas se no país já demora assim, imagina em cidades pequenas? As coleções novas das grandes marcas sempre chegam aqui com meses de atraso. Muita marca bacana, por aqui não chega nem o cheiro. O universo de quem mora em cidade pequena é limitado. Se você é a doida das compras on line (Yasmin? Oi? Kkk), isso também nem é tão um problema assim. Às vezes te garante até algumas coisas “exclusivas”, que ninguém do seu convívio tem. O problema não acaba sendo ter – mas usar.
            E é aqui que manifesto minha indignação. Gente, usar certas coisas em cidade pequena é sinônimo de chamar atenção. Exemplifico: há quanto tempo vocês vêem oxfords nos blogs de moda? Deve ter uns bons dois anos que eles já são coisa corriqueira no exterior. Aí vieram de mansinho no Brasil, mas eram difíceis de achar. Eu, há uns 3 meses achei um par nude perdido numa loja aí. Fui usar amarradona – e fui obrigada a ouvir diversas piadinhas por causa dos meus sapatos. Isso há 3 meses, porque depois um monte de marca passou a fabricar, eles inundaram as lojas e passou a ser normal.
            Todo mundo aqui concorda que mistura de estampas pode resultar em um resultado cafona – mas também pode ficar incrível, né? Há uns dias brinquei com xadrez e bolinhas em tons de preto e branco (num detalhe da camisa e no sapato) e me perguntaram se eu tinha saído com pressa de casa e se tinha vestido a primeira roupa que achei. Poxa!
            É muito chato usar alguma coisa “diferente” e todo mundo ficar te apontando na rua, como se você tivesse cometido um crime imperdoável. E as vezes, inclusive, por causa de uma coisa que não tem nada de bizarro – só é diferente mesmo. Mas o foda tenso é que o Brasil se orienta em termos de moda pelo raio da novela das 8. Se uma atriz X ta usando Y, aquele item aparece nas lojas com uma velocidade espantosa – e nem interessa se é de bom gosto ou não. E aí, tudo bem usar uma bijuteria fuleira colada na testa (Caminhos das Índias, oi?), mas uma menina que fez uma mistura de estampas... NÃO!!! Pra ela a gente vira pescoço na rua, dá risadinhas abafadas e aponta o dedo.
            Eu fico magoada. Não porque eu me ache melhor do que os outros, mas pela falta de tolerância. A cidade pode ser pequena, mas o pensamento não precisa ser. Aqui, onde eu vivo, as palavras “estilosa”, “chique” e sinônimos são utilizadas com tons tão pejorativos, que as vezes dá vontade de sair uniformizada igual todo mundo daqui. E o que gera esses comentários é o mero desconhecimento, estranheza ao que é novo. Em vez de tentar aprender com as pessoas que tem coragem de ousar, ou de simplesmente deixar a pessoa usar o que ela quiser em paz, as pessoas precisam ser rudes e transformar uma peça de roupa, um corte de cabelo, um item pequeno, em um espetáculo de circo.
            E o motivo da minha indignação? Porque essa semana estava com o cabelo sujo e usei um lenço dobrado no cabelo, como se fosse uma faixa no cabelo pra disfarçar. UM LENÇO, GENTE! E 8 pessoas... OITO (!!!) me falaram que eu parecia uma lavadeira com ele. Chateação é pouco.
Alguem pode me dizer se tem mesmo alguma coisa errada com meu lencinho?


            Dividam suas indignações comigo, ladies!!!

terça-feira, 12 de julho de 2011

Testei: Dekap Color, a salvação!

Amadas!

Sumi duas semanas. EU SEI. Provas finais de faculdade, cabeça a cem mil por hora, muito sono da beleza pra compensar, enfim.... sorry sorry sorry. Agora vou cumprir a promessa de pelo menos um post por dia durante as férias, aguardem!

Aqui no blog a seção de cabelos é praticamente comandada pela Bárbara, né? Mas como ela comentou em um dos últimos posts sobre a tinta lixo da Garnier, eu resolvi sugerir a solução que eu encontrei pra todos os casos de insatisfação com a cor dos fios: Dekap Color, da Yamá, esse lindo aí do título do post, hahaha!!


Mas deixa eu contar a história: Eu usei durante uns bons dois anos a coloração preta no meu cabelo. Achava um barato, porque sou bem branquela e super contrastava. Mas aí eu enjoei, e entrei primeiro na vibe ruiva, depois na castanha... só que o raio da tinta preta não saía. Quando eu já estava me conformando em ter que esperar o cabelo crescer novamente, ou sair cortando tudo (nããããoo!!), ouvi falar dessa opção. O Dekap é bem interessante justamente porque ele não descolore os fios (eu tenho progressiva também, e isso ia arrebentar com a minha jubinha!), ele apenas tira a tinta ou tonalizante que você tenha usado. O tom final do seu cabelo não vai ser o mesmo, claro, mas fica uniforme.

Como a boa curiosa que eu sou, aliada ao fato de ser aloka das compras on-line, fui à caça na internet, e comprei logo duas caixinhas pra fazer estoque! Testei, e comigo funcionou maravilhosamente: com duas aplicações, meu cabelo tinha perdido bastante daquele pretão impacto, e o melhor de tudo, nada de ressecado! Não é brincadeira, gente, não existe aquele aspecto de cabelo palha quando você seca, é incrível!

Vocês vão ter que me perdoar as fotos, que eu vou colocar aqui pra mostrar mais ou menos como fica, mas é que néah, nem todo mundo é fotogênico nesse mundo, minha gente:






Deu pra ver como faz diferença?

Acho que vale frisar novamente que eu tenho química no cabelo (escova progressiva), e que o meu cabelo é MUITO nojento no que diz respeito a cores: difícil de pegar, difícil de tirar, uó... mas eu amei o resultado, amei o produto, achei que deu super certo no meu caso, sem detonar com os fios. Aprovado!

Essa é a dica de hoje, gatas, pra quem não tá satisfeita com um produto, ou com a cor do perucón, se joga no Dekap Color sem medo, que é sucesso!

Beeijo!

***********************

UPDATE!

Já ia esquecendo, né, esperrta como eu sou :)

A loja onde eu comprei as caixinhas de Dekap é essa aqui.

Agora sim... beeijo!





To passando a bola pra elas!

         Passando aqui pra dizer que to passando a bola pras minhas amadas companheiras de blog. É que a vida aqui fora tá chamando... hauahuah!!!

          Brincadeira, amadas. É que dia 17 (domingo) vou fazer a primeira fase da OAB, e por isso preciso tomar vergonha na cara, sair da net e estudar. Me desejem sorte, cruzem os dedos, torçam por mim... e segunda (dia 18) eu to de volta!


        Beijos!

domingo, 10 de julho de 2011

Tinta de Cabelo do Inferno

Gente, vocês lembram quando anunciei minha ruivice pra vocês?
Pois é, gente, um mês e meio depois venho dizer pra vocês o que achei da tinta que usei: Ô TINTA DO INFERNO!!!!
Eu sei que devem ter amantes da Garnier Nutrisse por aí, pode ser uma particularidade da cor que escolhi, não sei, mas, pra mim, deu muito errado. A cor fica linda quando pinta, mas... duas lavagens depois o meu vermelhão já vira um castanho avermelhado e com algo de laranja. E olha que meu cabelo pega tinta fácil. E eu sei, eu sei que desbotamento é algo típico dos vermelhos, mas a minha Soft Color (que é tonalizante, veja a ironia) nunca fez isso. Dava os primeiros sinais de desbotamento coisa de uns 10 dias depois (sem lavar todo dia).


Outro ponto negativo é o cheiro. Tintura tem cheiro de amônia, fato. Mas aí eles tentaram disfarçar com aquele cheiro de frutas típico da Garnier e fica uma coisa bizonha, que entranha no cabelo e só sai de tudo na terceira lavagem. Forte e ruim.
Se eu falar que ressecou meu cabelo é mentira. Isso tenho que admitir. Mas em se tratando de coloração/desbotamento já usei tonalizantes sem amônia que me deram resultados melhores (tipo a Color Touch ou a minha queridinha Soft Color). Uma pena, porque quando eu retocava a raiz e reforçava o resto da cor, ficava linda.
Enfim, se alguém por aí quiser tingir o cabelo, está aí uma tinta que não recomendo. E assim que trocar a coloração, venho aqui passar as novas impressões pra vocês.

sábado, 9 de julho de 2011

Hidratação Porreta de Boa!!!

Gente, achei o milagre capilar!!! Sabe aquela coisa que você não aposta NADA que vai dar certo e que dá mais certo que você esperava? Pois é.
Li em alguns blogs (o que me convenceu foi o Eu Vou de Rosa) sobre misturar glicerina na hidratação do cabelo. Eu pensei que era mais um desses mitos da internet. Mas... Como o Bepantol está aí pra provar que nem tudo o que é divulgado na net é besteira, fui eu, em nome do jornalismo investigativo conferir. E a receita é: uma colher de Novex Óleo de Argan e meia colher de glicerina. Só.
Eu lavei o cabelo com shampoo, sequei bem com a toalha e dei um sustinho com o secador, pra não ficar excesso nenhum de água. Passei a mistura, enluvei bem, pus uma touca plástica comum e deixei 15 minutinhos. Milagre dos milagres! Gente, sabe o que é um cabelo sem frizz? Que ficou lisão secando ao natural, sem um fio fora do lugar? Pois é, foi o meu cabelo. Parecia até o da Jessie J!

Oi... meu cabelo ficou praticamente assim!

Só preciso falar pra vocês o seguinte: tem que usar a touca. Tentei fazer sem ela outra vez e não deu certo, o cabelo ficou duro. Não sei se é por causa do calor ou sei lá, mas não façam essa hidratação sem touca.
E como pessoa foguenta que sou, quis mexer em time que estava ganhando. Misturei meia colher do Novex Óleo de Argan, meia do Seda Regeneração Capilar Completa (meus queridinhos) e meia de glicerina. E... Jessie J ruiva de novo, gente! Não usei nem leave in, nem reparador de pontas. Uma loucura. Não sei se o efeito da glicerina trata mesmo o cabelo ou se é só cosmético, tipo uma maquiagem. Mas que o cabelo fica lindão, ah, isso fica!

terça-feira, 5 de julho de 2011

Makes da Christina.

Pessoas divonicas do meu coração!
Vocês já devem ter reparado que a Christina Aguilera é praticamente a musa do blog, né? A gente sempre acaba usando ela como referencia pra alguma coisa, e mesmo com roupas de gosto duvidoso e sendo gongada por diversos blogs, pra mim ela é perfeita.
Enfim, tava de bobeira no Google imagens e pesquei umas fotos aleatórias dela pra inspirar meus makes de inverno. Vem comigo?

Começo com essa imagem, com a cara mais rechonchudinha nas imagens promocionais do Reality The Voice. Delineador, rimel, uma sujadinha de sombra escura em baixo e batom vermelho. E vou falar pra vocês a coisa mais fantástica desse make: POUCO BLUSH!!! Meu lado travesti gosta de make chamativa, mas acho blush marcado o fim. Parece que fugiu da festa de São João.

Aqui é em outra apresentação do The Voice. Massa o puxadinho da sombra acompanhar o gatinho do delineador. Na foto de olho fechado dá pra ver que a sombra grafite marca só o côncavo, mas a pálpebra móvel recebe apenas uma sombra baunilha/rosada. Massa é que ela usa bastante um olho marcadão com batom vermelho, mas, pra dar um certo equilíbrio e não ficar pesado, ela prefere a sombra grafite no lugar da preta, e quase nunca usa lápis preto em baixo.

Esse é o make que eu mais gostei, o da semifinal do The Voice. Pele mais bronzeada (mas sem cor de tijolo), batom nude e olho pretão. Pena que eu não consegui uma foto maior, mas eu descobri que assim que meu cabelo tiver tamanho pra tanto, eu quero esse penteado também.

Por último, video da apresentação dela com o Maroon 5, cantando Moves Like Jagger (apaixonei nessa música). Gente, o que é esse coque? Não dá pra ver o make muito bem, mas com um coque desses eu saia de casa até de cara limpa (mentira, não saia não!)! Eu também cobicei esse coque, minha diva!

E vocês, amadas? Cobiçaram alguma coisa do glamour kitsch da Christina?