Páginas

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Volta, A-ha!!!

Levando em conta que eu (ainda, graças a Deus) nasci na década de 80, venho falar de uma das minhas primeiras paixões musicais: O A-ha.
Nem lembro desde quando eu conheço e gosto do som deles, só me recordo de eu, bem criancinha, tipo, 4 aninhos, só ia dormir ouvindo You Are the One, faixa 1, lado A, de um vinil que tem lá em casa até hoje.

É. Eu sou da época do vinil, do Xou da Xuxa, dos Cavaleiros do Zodíaco e de jogar Mortal Kombat num Nintendo. Me apedrejem e me chamem de velha, mas mesmo que por pouco eu sou da década de 80.
Mas, enfim, gostar de A-ha foi herança de papai e mamãe que sempre gostaram de coisa boa (além do A-ha eu também amo Bee Gees, Roxette, Madonna, Tina Turner, Guns n’ Roses, Metallica, AC/DC, Rolling Stones, Dire Straits e um monte de coisa dessa época aí). E esse trio norueguês mora no meu coração desde sempre. Meu e de muita gente, porque no Rock in Rio II, em 1991, o show deles foi parar no Guiness Book como recorde de público: 198 mil pessoas. É gente pra caramba.

 Pra minha tristeza, ano passado numa turnê mundial eles encerraram a carreira, e perdi a oportunidade de vê-los ao vivo pela última vez. Mas como música boa não tem idade, eu continuo ouvindo o som deles e me deliciando com a voz inconfundível do Morten Harket.


O fato é que se tem uma coisa que muito me entristece é que um grupo com tanto potencial pra continuar fazendo coisa boa dar por finita uma carreira tão longa. Isso porque os últimos trabalhos da banda foram sucesso de público e crítica, o que prova que eles tinham muito a oferecer ao público e muito em que contribuir com a música de um modo geral.
Aí, antes de postar meus 2 clipes favoritos deles pra encerrar o post, fica a reflexão: se estamos num cenário musical onde “Créu” faz sucesso, e bandas como o A-ha encerram a carreira... onde nós vamos parar?




4 comentários:

  1. O cenário atual é um fracasso.
    Me lembro com saudade de um tempo que nem vivi com minha plena lucidez.
    Fico imaginando o que as futuras gerações terão para recordar dá época em que eram crianças. Porque bem ou mal, tivemos muita coisa boa surgindo nos anos 80 e 90, no Brasil e no mundo. Incluindo o fato de que a maioria das bandas e artistas dos anos 80 continuaram produzindo a todo vapor em 90 e alguns até 00.

    ResponderExcluir
  2. Take on me de toque de celular me traz boas recordações.

    ResponderExcluir
  3. É... Vc demorava duas horas pra descobrir que estava tocando por causa da bateria no começo. Boas, mesmo.

    ResponderExcluir
  4. Olá meninas...adorei o artigo! Morten esteve aqui ano passado e voltará em 2014...Bjs

    ResponderExcluir

Gostou do post? Comenta, gata!