Páginas

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Como remover tinta vermelha do cabelo.

Olá de novo amados do meu coração!
Estava olhando as estatísticas do blog, e percebi que um dos posts mais acessados é oque “ensina” a remover a tinta vermelha do cabelo. Pensando nisso, resolvi voltar a tocar no assunto de forma mais detalhada.
Pra começo de conversa, preciso explicar que não sou uma profissional no que se relaciona com cabelos, e a forma que costumo “sair do ruivo” foi algo que deu certo pra mim. Eu nem sei se eu sigo regras específicas que os coloristas recomendam, apenas, com base no meu tipo de cabelo, acabei descobrindo uns truques eficazes pra mim.
Já me perguntaram também porque eu simplesmente não uso Dekap Color. Não uso porque não consigo comprar, simples. Moro numa cidade pequena, e não se trata de um produto fácil de encontrar. Logo, acho que não preciso de mais explicações.
Por fim, preciso esclarecer que há dois tipos de tintas ruivas: as com nuance acaju (vai ter o número 6 depois do ponto na numeração da tinta) e a cobre (vai ter o número 4 depois do ponto). A nuance acaju é a mais comum de achar em tintas de farmácia, é aquele vermelho mais fechado, puxando pro vinho. Já a cobre é bem difícil de achar, e existe mais em tintas profissionais, sendo conhecida como “ruivo natural”, alaranjado (tipo da Marina Ruy Barbosa).
Porque é importante saber isso? Porque enquanto o pigmento cobre no cabelo se aproxima do laranja, o pigmento acaju contém uma parcela de pigmento azul. Isso mesmo, azul. Isso faz o vermelho ficar naquele tom vivo de vinho característico. Sabendo disso, eu preciso corrigir uma omissão minha do outro post, mas já chego lá.
Então, como faço pra sair do cabelo vermelho?
Três opções. A primeira, como já dito, é o Dekap Color, que vai desbotar muito seu cabelo, deixando-o apto pra ser tingido.
A segunda, é pintar de preto, que vai cobrir a tinta toda.
A terceira, é a que vai dar trabalho. Primeiro, é necessário lavar bem o cabelo com um shampoo anti-resíduos. Assim, ele vai abrir bem as escamas do seu cabelo, e desbotar bem a tinta. Eu gosto de lavar com anti-resíduos uma vez por semana, por mais ou menos um mês antes de resolver pintar. Assim, meu cabelo fica bem desbotado.
Depois de lavar com o anti-resíduos, eu uso um shampoo desamarelador CINZA, aquele que se usa pra matizar cabelo branco/grisalho. Se você pintou o seu cabelo de acaju, e usar um shampoo desamarelador roxo, ou azul, você não vai desbotar o pigmento, e ainda corre o risco de intensifica-lo. O cinza vai “quebrar” um eventual amarelado que pode ficar no seu cabelo por causa do desbotamento.
Recapitulando, é necessário lavar o cabelo com o combo anti-resíduos e shampoo cinza uma vez por semana, por quatro semanas consecutivas, lembrando de hidratar muito o cabelo depois.
Por fim, na quarta semana, seu cabelo vai estar bem desbotado, e preparado pra receber uma tinta que possa cobrir o vermelho. Essa tinta deve conter a nuance cinza, que vai dar uma “esfriada” no tom do cabelo, anulando o pigmento vermelho/cobre, ou pelo menos boa parte. No meu cabelo, eu costumo usar o castanho cinza claro, da color touch, que fica bem próximo do meu tom original, e eu consigo ficar tranquilamente uns dois meses sem pintar o cabelo (e assim dou um descanso pro pobrezinho).
Lembrando que é muito difícil conseguir um tom de loiro por cima do vermelho, mesmo no salão. Então, pra quem quer remover a tinta vermelha e ficar loira eu sugiro muito tratamento e um bom profissional.
Pra facilitar, é só lembrar de seguir o esquema:
Semana 1: Shampoo anti-resíduos + shampoo cinza + hidratação;
Semana 2: Shampoo anti-resíduos + shampoo cinza + hidratação;
Semana 3: Shampoo anti-resíduos + shampoo cinza + hidratação;
Semana 4: Shampoo anti-resíduos + shampoo cinza + tintura + hidratação.

Beijo grande, e espero ter ajudado!


quarta-feira, 26 de junho de 2013

DUELO DE BB CREAMS: L'OREAL X SKIN FOOD









Eu tô sumida? Ô, gente, me perdoa!!!
Mas ó, eu juro, vou me redimir!!!
Seguinte, vou fazer um comparativo entre dois BB Creams famosos. O primeiro é da linha Good Afternoon, da Skin Food. O bom e velho coreano. E o segundo é o da L’oreal, que foi lançado há pouco tempo no Brasil e está fazendo um super sucesso nos blogs e fora deles. Eu comprei dois da Skin Food, o Berry Berry Tea e o Apple Cinnamon Tea. O segundo eu usei até o fim, e o primeiro, usei poucas vezes. Mas, vamos ao que interessa!
Textura:
Skin Food: é bem grosso. Às vezes, acaba sendo bem difícil de espalhar, especialmente com pincel. Já com as mãos é bem mais tranquilo de espalhar, mas tem que ter paciência. O lado bom é que, por ter que apertar a embalagem pra que ele saia, é mais fácil dosar a quantidade e evitar desperdício.
Lóreal: é bem mais líquido e fluido. Espalha bem no rosto tanto com as mãos, quanto com pincel. No entanto, só de virar o bico dosador pra baixo ele já começa a sair descontroladamente. Tem que tomar cuidado na hora de abrir para não haver desperdício.
Cobertura:
Skin Food: cobertura média. Ameniza bem algumas manchas menos pigmentadas do meu rosto. No entanto, a cobertura não condiz com a textura, pois, por ser bem grosso, eu esperava que cobrisse melhor. Espalhando com pincel eu consigo, apesar de ter um pouco de trabalho, chegar à uma cobertura digna de base. A vantagem é que não deixa o rosto com cara de reboco.
L’oreal: cobertura média. Embora seja mais fluido, não notei diferença nenhuma de cobertura para o da Skin aplicando com o pincel. Já com as mãos, eu precisei de duas camadas pra ficar do jeito que eu gosto.
FPS:
Skin Food: 36 PA++. É bem alta, utilizando ele eu dispenso meu filtro. Mas é importante ressaltar que, na praia, eu uso filtro específico pra esse fim, e na cidade, eu não tomo sol. Então, eu acredito na embalagem, mas não tenho como atestar a eficácia do filtro.
L’oreal: fator 20. Pra mim, esse fator é baixo. Por isso, uso um filtro por baixo sempre.
Cheiro:
Skin Food: os dois que eu comprei, embora da mesma linha, tem uma diferença muito sutil no cheiro. Mas só senti porque estava com os dois na mão, acredito que quem comprar um por vez nem perceba. É um cheiro meio cítrico, perfumadinho delícia, que some depois.
L’oreal: Tem cheiro de... cola branca!!! Lembrei dos meus tempos de escola, sério! Não fica na pele, mas pra quem é enjoada com cheiros, esse tem cheiro de cola escolar.
Cores:
Skin Food: Tem nas cores claro, médio e escuro. Mas, não é pros nossos padrões. Eu uso o médio, e fica ligeiramente mais claro que a minha cor. Depois que assenta e que eu uso blush, ele iguala, mas é um pouco mais claro sim. Ele fica perfeito na minha sogra, que tem a pele bem clara e rosada, então, acredito que o “escuro” deles seja a cor de uma morena clara aqui no Brasil. Lembrando que é um produto coreano, que não é distribuído aqui, e por isso, não tem obrigação de atender aos nossos padrões.
L’oreal: minha indignação máster aqui. Só tem em duas cores, claro e médio. O claro é a minha cor exata, mas na minha sogra fica ligeiramente mais escuro. O médio eu não conheço, mas acho que dificilmente ficaria bom numa negra. Acho um absurdo uma marca trazer um produto pro Brasil e não atender a todas as consumidoras daqui. Um produto coreano não ter cor pra pele negra é admissível, porque normalmente esse não é o biótipo de lá. Mas se é revendido no Brasil como produto nacional, tem obrigação de atender (ou tentar) a toda a gama de consumidoras aqui. E nem cito as harmonias de pele (rosada, amarelada), mas só os tons mesmo. Falta de respeito.
Acabamento:
Skin Food: normal. Não reduz nem aumenta minha oleosidade, lembrando que tenho pele normal. O acabamento dele, aplicado com os dedos fica sem brilho, e até consigo dispensar o pó. Já com pincel, a pele brilha um pouquinho, mas nada que uma camada fina de pó não resolva. Aplicado com pincel, ele transfere um pouco, mas nada alarmante. Não me deu cravos.
L’oreal: diz que é matte, mas aplicado com os dedos tem o mesmo acabamento da Skin. Com o pincel ele continua ficando seco, mas me sinto mais segura usando uma camada fina de pó. Também transfere um pouco e não me deu cravos.
Benefícios adicionais:
Skin Food: promete hidratação, o que eu não consigo ver diferença porque nunca deixo de usar meu hidratante diário. O Apple Cinnamon Tea, que eu usei até o final, prometia clarear manchas, mas digo com segurança que nas minhas não fez diferença nenhuma. Já o Berry Berry Tea promete ser antissinais, o que eu não tenho condições de avaliar.
L’oreal: Não promete nenhum benefício adicional, além dos que já são naturais dos BB Creams.
Preço:
Skin Food: Eu paguei R$56,00 reais em cada um pelo site Pink Gloss, e demorou 40 dias pra chegar.
L’oreal: Paguei R$24,50 numa farmácia da minha cidade.
Resultado: pelo preço e facilidade pra comprar, indico o da L’oreal, afinal, a cobertura dos dois e o aspecto na pele é quase idêntico. Embora o da Skin prometa mais benefícios e tenha um cheiro melhor, é chato pra comprar, não dá pra testar a cor antes (comprei na sorte) e, honestamente, não senti nenhum desses benefícios de forma direta a ponto de compensar a compra. A única coisa em que ele supera sem sombra de dúvidas o da L’oreal é no FPS, o que me poupa um trabalhão na hora de me arrumar. Mas pra quem não liga pra isso, a melhor indicação ainda é o da L’oreal.
Beijos grandes!!!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Pontas Brancas/Duplas no Cabelo - Como Cuidar?



Bom dia, amadas!
O assunto desse post vão ser as “pontinhas brancas” que às vezes aparecem no cabelo.  Quem já teve/tem sabe de como esse problema incomoda. Você cuida do cabelo com amor e carinho, ele fica lindo no comprimento, mas as pontas ficam cheias de pontinhos branquinhos. De quebra, vem de brinde um ressecamento máster, e uma aparência de vassoura de bruxa. Como fazer?

Primeiramente, é necessário entender porque essas pontinhas aparecem e o que elas são. As pontas do cabelo são extremamente mais suscetíveis a danos do que o resto do cabelo. Se você faz química, por exemplo, enquanto sua raiz recebeu uma, no máximo duas vezes um produto, sua ponta já recebeu dezenas de vezes. Além disso, recebem pouca ou nenhuma oleosidade natural, e sofrem mais com o atrito (elásticos, pentes e escovas), calor (água quente, secador e chapinha), sprays para cabelo, tinturas, luzes, sol, cloro, água do mar... Tudo o que de alguma forma represente dano ao cabelo, incide de forma maior e mais agressiva nas pontas. 

Naturalmente, portanto, elas sofrem maior desgaste, quebra e ressecamento que o resto do cabelo. Então, o que são essas pontinhas brancas? É uma evolução desse desgaste, é quando as pontas do seu cabelo estão tão ressecadas a ponto de o desgaste evoluir a uma ruptura da ponta, que fica branca. Se a pessoa deixa pra lá, e insiste na rotina de danos, essa ponta branca evolui pra ponta dupla, tripla, e por fim, pra chamada vassourinha (também conhecida como ponta múltipla).



Mas então... qual a solução?

TESOURATERAPIA.

Aqui eu me permito fazer um adendo. Vários blogs net afora divulgam dicas e mais dicas para resolver pontas duplas, ressecadas, e até corte químico sem cortar o cabelo. Sou severamente contra esse tipo de posicionamento. Se um profissional, que fez inúmeros cursos e fez de cuidar de cabelos seu meio de vida indica a tesoura, não acho válido um blogueira sem experiência nesse sentido indicar o contrário. Há problemas que só a tesoura resolve. As pontinhas brancas são um deles. E eu sou daquelas que prefere um cabelo curto, mas bonito, do que longo e detonado.

E muita gente se pergunta porque, mesmo depois de aparar as pontinhas, algumas não somem ou voltam rápido. É que, principalmente para quem tem cabelo repicado ou em camadas, aparar pontinhas é algo complicado. Às vezes o corte não pega todas as mechas e fios do cabelo, e sobra algum com a pontinha branca, ou com a iminência de ter. O truque então, é pedir ao cabelereiro que divida seu cabelo seco em várias mechas (como eles fazem pra fazer chapinha) e, mecha por mecha, vá cortando o excesso de ressecamento/quebra/pontas brancas e duplas do seu cabelo. Só depois de ter feito essa “limpeza” nas suas pontas, lavar e dar o corte. Vai diminuir um pouco mais do tamanho, mas compensa no resultado.

Depois, tem que fazer hidratações semanais sem pena, porque se a sua ponta começou a abrir uma vez, é sinal que o resto do seu cabelo está bem fragilizado.

E pra prevenir, como faz? Primeira coisa, hidratações semanais. Uma semana, com uma máscara emoliente (silicone, oliva, argan, tutano, lanolina, colágeno), e na outra com uma reconstrutora (queratina, aminoácidos). Ainda, tomar cuidado ao desembaraçar o cabelo, pra evitar a quebra, usar bons shampoos, evitar a dupla secador + chapinha, e, quando usar, investir num bom protetor térmico. Ainda, espaçar bem o uso de químicas, tipo tinturas, descolorantes, alisantes e progressivas, e nos intervalos entre elas, intensificar as hidratações.

Não há milagre para evitar danos no cabelo, ainda mais nos dias atuais, nos quais o acesso a diversos meios para mudar o visual é fácil e a custos baixos. Mas o cuidado periódico auxilia, sim, na obtenção de um cabelo bonito.

Beijos!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Dica de Beleza: Vaselina!


Olá, princesas!



Vocês já repararam que, com uma certa frequência, aparecem uns itens de beleza que viram mito/febre na internet? Foi assim com o Bepantol, Glicerina, Óleo de Argan, e diversos outros. Agora, a nova febre dos blogs é a Vaselina. Porque? Honestamente, não sei!

Basicamente, a vaselina é um produto derivado do petróleo, sem cor ou cheiro acentuado, muito utilizado na indústria cosmética. Ela está presente nos batons, hidratantes e até produtos pra cabelo. Pesquisando, li em alguns blogs que ela tem bom poder hidratante. Em outros,          que assim como o óleo mineral, ela apenas cria uma proteção, que impede o tecido de perder água.

Vi também muitas indicações de uso, mas só vou postar aqui as que testei, e as minhas impressões. Há quem prefira a versão líquida, mas eu gosto da sólida, por ter mais usos, e fazer menos meleca. Vamos às funções da vaselina?



·         Li que a Jeniffer Aniston usa na área dos olhos pra evitar rugas. Olha, se a Vaselina impede a perda de água, faz sentido que as previna, por reter água na pele. Mas ela só vai reter uma hidratação que já esteja lá. Eu tenho usado a vaselina sob os olhos após meu creme noturno ter sido totalmente absorvido pela pele. E continuo não abrindo mão do hidratante + filtro pela manhã.

·         Como removedor de maquiagem nos olhos. Nunca testei nada melhor. Só passar um pouco de vaselina nos dedos, e ir devagarinho passando, com os dedos mesmo, no olho para remover rímel e afins. Depois, só tirar aquele grude com um papel higiênico seco, e lavar o rosto com sabonete. Removeu até o rímel à prova d’água da Maybelline, que era terrível de tirar.  

·         Como primer. Esquentar um tico de nada de vaselina sólida nas mãos, e usar no rosto antes da base. Então, não tem aquele vídeo da Marylin que postei aqui? Ela usava vaselina no rosto, antes da maquiagem. Relativamente a fechar poros, bla bla bla, não senti muita diferença não, mas não sinto com primer nenhum que eu já tenha testado. Tenho q reconhecer, no entanto, que a oleosidade da pele demorou bem mais pra aparecer. Honestamente, tenho medo de usar isso com frequência e me dar acne, portanto, só vou usar pra poucas ocasiões. Mas deu certo.

·         Nos lábios. Tem gente que eu li que usa como balm. Eu não recomendo, porque o gosto não é bom. E acho mais prático comprar um balm bom na farmácia, do que ficar fazendo essas receitas malucas que a gente vê net a fora. No entanto, a vaselisa, misturada com açúcar deu um esfoliante para lábios muito eficiente. E também uso nos lábios antes de dormir, e os tenho sentido mais macios.

·         No cabelo. Mistura um pouco de nada no creme de hidratação/reconstrução. Diminui bastante o aspecto espigado e ressecado dos fios. Mas depois da segunda lavagem o efeito foi embora, então acho que foi mais uma “maquiagem” do que hidratação efetiva. E tem que remover bem, com água morna, depois usar condicionador, se não deixa o cabelo ensebado.

Bom moças, essas foram as minhas experiências com o que parece ser o novo mito da internet. Comprei um potinho de vaselina sólida na farmácia por R$ 4,50, e não está nem perto de chegar sequer na metade. Foi um gasto que, pelo menos pra mim, valeu à pena.


quinta-feira, 24 de maio de 2012

Como Fazer a Maquiagem da Marilyn Monroe


            Passeando pela net esses dias acabei achando um post nesse blog sobre como fazer a make da Marilyn Monroe. Nem preciso dizer que parei tudo, né? Achei um luxo, de verdade.

            Assisti o vídeo umas três vezes pra poder entender o porquê de cada uma das técnicas empregadas e poder adaptar pra vida real. Isso porque a maquiadora reproduziu fielmente a maquiagem do jeitinho que era feita na época. Por essa razão algumas técnicas podem até parecer meio arcaicas e impraticáveis hoje em dia. A maquiagem da Marilyn, por exemplo, tinha uma pegada meio exagerada, porque na época não existia HDTV. Os atores precisavam pesar a mão na maquiagem para poder aparecer bem no vídeo. Assistam o vídeo e vamos às considerações:



            Primeiro, não entendi se o que ela passa no rosto da modelo é um hidratante ou vaselina sólida (era usada na época). De qualquer forma, eu substituí por hidratante + primer.

Já com relação ao contorno do rosto, acho que a pessoa só deve fazer onde precisa. Eu, por exemplo, só fiz na parte fundinha da maçã do rosto. A Marilyn tinha o rosto redondinho e nariz igualmente redondinho. O meu é mais fino, então se eu fizer o contorno escuro pra “afinar” o nariz, fica estranho. Sobre essa coisa de contorno, eu vi um post muito legal da Vic, do Dia de Beauté, que dá muitas dicas bacanas.

            O meu contorno eu fiz com o pó um tom mais escuro, usando um pincel largo com pouca quantidade de produto e espalhando bem. A intenção é dar um leve sombreado, e não parecer algo marcado. Não fica bacana, vai por mim.

            Eu também não pesei a mão no blush, porque acho desnecessário. Segui a dica da moça do blog que eu citei, e também substituí tudo o que era branco por bege, usando bem menos quantidade. Tudo o que ela fez nos olhos da modelo eu fiz de forma mais suave e menos caricata. Também não usei postiços, porque ia sair de dia. Quem for usar, pode colocar tufinhos, menos exagerados do que o do vídeo.

            E, por favor, cuidado com as sobrancelhas. Deem só uma “acendida” no formato natural delas, pois sobrancelha desenhada é coisa da década passada.

            Perdoem a câmera estragada que não contribui. Isso em breve será corrigido. Seguem fotos!



quarta-feira, 16 de maio de 2012

Mais cuidado pros cabelos


            Amadas, primeiramente, peço 200 milhões de desculpas, pois minha câmera não está funcionando bem, então as fotos do post serão emprestadas do Google imagens. Mas enfim... vamos falar das minhas novas aquisições capilares.

            Estava rondando as Americanas, e meu shampoo já tinha ido pro saco. Aí vi a promoção de Shampoo e Condicionador da Alta Moda (linha “acessível” da Alfaparf) pela bagatela de R$16,90 e resolvi levar. Levei a Liss Extreme, a rosinha, que prometia brilho, pouco volume e pouco frizz. Quando fala em redução do frizz “as mina pira”, né?



            Pois bem. O cheiro é bom, mas não sei dizer se fica no cabelo, porque eu nunca consigo sentir o cheiro das coisas em mim, nem do meu perfume. Acho que eu acostumo, não sei. O Shampoo é branco, perolado, meio transparente, não muito cremoso. Faz bastante espuma. É daquele que faz o cabelo “cantar”, sabe? Passa uma vez e já sente o cabelo bem limpo. Ele deixou meu cabelo emboladão, duro mesmo, pensei “meu Deus, agora ferrou de vez!”.  Aí fui apelar pro condicionador.

 Ele é meio ralo, branco e meio aquoso. Textura tipo gel creme. Passei no cabelo e parece que o condicionador sumiu. Não desembaraçou nada meu cabelo, parece que o cabelo chupa todo o produto, você não sente desembaraçar e nem hidratar. Mas na hora do enxague... o cabelo estava MO-LI-NHO!!! Debaixo d’água parecia que o cabelo estava derretendo, sem nenhum nozinho, fantástico.

Deixei secar ao natural, e realmente o cabelo ficou macio, e deu uma diminuída no frizz sim. Também ficou bastante brilhante, é um produto que definitivamente não pesa no meu cabelo. Acho uma boa opção pra quem tem cabelo ralo e oleoso. Já pra quem precisa de uma hidratação mais potente, não sei se daria certo.

A minha segunda aquisição, foi pra deixar na casa do namorido. Outra promoção nas Americanas (amo!), da Linha Palmolive  Reparação Completa. Por R$ 9,99 eu levei shampoo, condicionador e creme para pentear. A linha promete restaurar  3 anos de danos em um mês, com uso contínuo da linha. Pesquisando, vi que a linha não tem máscara, então acho meio furada a ideia de uma reparação tão fantástica sem uma máscara, mas...


O shampoo é branco, perolado, e bem mais cremoso que o da Alfaparf. Diz na embalagem que é sem sal, mas faz muita espuma, gente, então eu acho que não é tão sem sal assim, não. Mas achei que limpa bem, e o cheiro é normal. O condicionador é bem consistente, e desembaraça super, deixa o cabelo super macio.

Já o creme para pentear é comum, branquinho, mesmo cheiro da linha. Passei só nas pontinhas.

Meu cabelo tem estado bem mais tratado desde que abandonei as tinturas, e recentemente fiz uma selagem térmica no salão, então ele não está precisando de um tratamento potente. Achei o resultado bacana, o cabelo bem macio, brilhante, não ficou oleoso ou pesado. Curti muito também o creme pra pentear numa embalagem miudinha. As outras linhas que fazem esses produtos com embalagens grandes de mais me decepcionam, porque eu nunca uso muito, então acaba o shampoo e condicionador, e ainda tem mais da metade de creme pra pentear. Me ganhou.

Enfim, moças, é isso. Duas alternativas BBB para os cabelos.